Antigamente, antes da internet, no período mezozóico, fazer uma crítica era muito mais difícil. Pra criticar alguém você precisava a) ter coragem e b) ter embasamento. Coragem pra falar na casa do sujeito que não, ele não canta bem ou não, ele não escreve um décimo do que ele acha que escreve. E embasamento porque na vida real se você critica e a pessoa se defende você não pode bloquear ela ou ignorar, você tem que responder. Só criticava quem era encrenqueiro ou quem sabia muito do assunto. Na internet não.

         Na internet qualquer nerd babaca de cinqüenta quilos te critica e te xinga como se fosse o próprio Vitor Belfort. Qualquer retardado com blog bombadinho entra no Google e quer te dar aula sobre alguma coisa que você escreveu. Mas o contrário também acontecia. Pra escrever uma coisa ou falar tinha-se que possuir the balls, porque a pessoa ia ler na sua frente, e ia falar que é uma merda. Quer dizer, não ia pra te magoar.  Mas se fosse hoje em dia, ela ia falar que tava legal e ia no seu blog postar um comentário anônimo.

          Mas essa última faceta é o que mais irrita. A internet trouxe a maldita democracia pro mundo das comunicações. Democracia é uma merda, coisa de americano. O povo é burro, não sabe o que quer. Aí vem a internet e esse bando de idiota faz blog, twitter, Orkut, e a gente tem que agüentar web-celebridade tentando fazer piadinha o dia inteiro no twitter, blog com conteúdo COMPLETAMENTE inútil que meu sobrinho de dez anos faria melhor tirando onda de New York Times e todo mundo metendo o pau em qualquer campanha de publicidade que use internet SEM O MENOR embasamento. Falar de fora é mole.

          Na internet é muito fácil ser 171. Você vai lá, faz milhões de amigos, posta umas baboseiras aqui outras acolá e pronto, qualquer coisa que você falar vai ser venerada e espalhada aos quatro ventos. É impressionante como tem porcaria na internet. Democracia é uma merda mesmo, não adianta. Isso de liberdade de expressão não ta com nada, muita gente na internet não merece liberdade pra falar as baboseiras que fala. Sem conversa, censura neles. Sem dó nem piedade. Deveria ter um crivo pras pessoas fazerem blog ou emitirem qualquer opinião na internet. Talvez um teste de QI, de português, sei lá. Prometo tentar achar uma solução. E enquanto não me proíbem você vão ter que me aturar por muito tempo.