Bom, com todos vocês sabem, eu não passo de um imitador barato do Luis Fernando Verissimo. Barato e mais magrinho. Tô até aprendendo a tocar sax. Então, assumindo a minha completa falta de criatividade e estilo próprio, vou lançar aqui um “meme”, e vou convidar alguns camaradas. Pra quem não sabe, “meme” é um post onde sujeitos com tempo sobrando blogueiros com  espírito colaborativo convidam outros blogueiros com muito tempo sobrando para falar sobre um assunto ou continuar um post. Em 1997, quando muitos de vocês ainda apreciavam o Cine Privé nas tenras madrugadas de quinta feira, o Verissimo escreveu um texto onde eles respondia às – segundo ele – grandes questões.

Vou puxar o bonde e fazer um texto respondendo às mesmas questões. E não vou postar aqui o que o nosso querido escriba teria respondido, por dois motivos: primeiro que vocês vão comparar e vão concluir que eu não passo mesmo de um copiador barato. E segundo que se eu tiver sem criatividade eu vou copiar as respostas dele e ninguém vai saber. Vamos lá.

 

(Era brincadeira, eu não vou copiar as respostas dele não. Eu só vou me contorcer e ter cólicas de inveja, mas copiar não)

 

Vida – Devolva minha fantasia.

Morte – Não quero estar por perto quando acontecer. 

Vida após a morte – Deve ser fanstástica. Lá pelo menos Coca Cola não deve dar gastrite, mulheres devem detestar preliminares e ir direto ao assunto e o Padre Marcelo Rossi deve ser mudo.

Reencarnação – Eu gosto tanto de mulher que quero voltar cantora da MPB.

A nossa insignificância diante do universo infinito – É só tomar um viagra que passa.

Ser ou não ser – Não ser, dizer que é, arrumar um laranja pra ser por você e dizer que não sabia de nada.

A angústia exitencial diante da transitoriedade de tudo –  É  só se mudar pra Niterói. O trânsito de lá é tão ruim que o tudo não ia transitar de maneira nenhuma.

O cérebro humano está capacitado a responder a todos os enigmas da existência – Não, mas o Google taí pra isso.

Um sistema econômico voltado para as necessidades sociais e não dominado pela cupidez humana – É o novo desenho da Pixar?

O que é mais importante, a genética ou o meio? – O ideal seria um meio termo. Uma Gisele Bündchen filha do Rei da Dinamarca ou que o Ronaldinho Gaúcho fosse filho do Pelé. 

Existe um ser superior que dirige as nossas vidas? – Não. Existia, mas em 1999 ele fez vinte pontos na carteira e de lá pra cá ele tenta todo ano mas não consegue passar na prova de direção defensiva.

Pra onde caminha a humanidade – Pra um mundo de caos, luxúria, corrupção, violência, sujeira, traição e viadagem. Ou seja, pra Copacabana.

 

E convido para responder às questões, meu companheiro de blogue  Julinho da Adelaide, do Perca Tempo! pro camarada TG, do Ela Tá de Xico, a Mah, do Vida em Posts e  o Fernando Caruso (que tem mais o que fazer e não vai aceitar), do Blog do Caruso. Se as respostas deles forem melhores que as minhas, não comentem lá. Eu sou possessivo e tenho ciúmes dos meus leitores. Principalmente das leitoras gostosas ávidas por uma relação tórrida e sem pudores com escritores-blogueiros. E você, caro leitor, contribua com as suas respostas nos comentários. Vou publicar as melhores respostas aqui em uma compilação, com uma resposta de cada leitor.

 

Adendo 1: conclamo também o camarada Rafael, do Vai Digitando. Conforme eu for lembrando vou chamando mais gente.

Anúncios