Uma das experiências mais enriquecedoras na vida de uma pessoa é ler classificados de tablóides. Não quero ser bairrista, mas não conheço tablóides de outros estados. Aqui no Rio tem um  – o melhor, na minha opinião, chamado “Meia Hora”. A parte de classificados, digamos, amorosos então é uma aula de marketing e concisão textual. Anúncios como “Aconteceu Claudinha. Rosto de menina, corpo de mulher. 22 motivos, gulosa e ardente”, são comuns.

           Mas um especial, na segunda feira última, chamou a minha atenção: quebrando o oligopólio das macumbeiros, rezadeiras e afins que traziam a pessoa amada em sete dias, Pai Zecão do Diabo resolveu fazer história e cravar seu nome nas entranhas do mercado de macumbeiros, e anunciou, pimpão: “Trago a pessoa amada em uma hora”. UMA HORA. Sessenta minutos. Se você tiver em Niterói e a pessoa amada morar em Cordovil , pai Zecão deve mandar ela de helicóptero, porque com esse trânsito, uma hora no Rio só dá pruns cinco quarteirões.

           Mas se vocês pararem pra pensar direitinho, esse sujeito vai ficar milionário. A policia pode contratar, ele imagina só: um sujeito foi seqüestrado. É só pai Zecão procurar a pessoa amada do sujeito, fazer o tal trabalho e seguir ela até o cativeiro, pois em uma hora ela vai encontrar a pessoa amada! Chega de seqüestros! Bandido foragido? Mesma coisa: procura a pessoa amada dela, faz o trabalho e segue ela até o esconderijo do safardanas. Bin Laden? Pai Zecão ajuda a encontrar.

          E as facilidades que o serviço oferece? Dia chuvoso? Preguiça de sair de casa? Liga pra pai Zecão e faz o trabalho. Ele manda a pessoa amada e você acrescenta: “ah, e pede pra ela me trazer um maço de Free Light, uma pizza média meio calabreza meio portuguesa sem cebola e pede pra pegar a correspondência na portaria por favor”. Quer moleza maior? Preso no engarrafamento sexta a noite, com a mulher te esperando em casa? Manda ela ligar pra pai Zecão, ele faz o trabalho, te manda o motoboy do capeta e em uma hora você chega ao conforto do seu lar.

          Agora, ficam algumas perguntas no ar. Pai Zecão dá tempo pra pessoa amada escovar os dentes e jogar um perfuminho em cima se tiver dormindo? Dá tempo dela comprar um casaquinho no free-shop se ela tiver em Ipanema e você na Groenlândia?  Se a pessoa for meio gordinha, ele cobra taxa extra por peso? Se vier pro Rio já vem vacinada contra a dengue? Se a pessoa amada for do mesmo sexo do pedinte, e não tiver, digamos, a mesma orientação sexual do cliente de pai Zecão? Nesse caso alem de entregar a pessoa em uma hora ele faz uma operação de mudança de sexo no trajeto? Nunca iremos saber. Se bem que acho que vou ligar pra pai Zecão, to com saudades da patroa. Mas e se vier outra pessoa? Pai Zecão alem de entregar a pessoa em uma hora resolve os problemas do seu coração? Pai Zecão pra presidente do Brasil!