Ao contrario do que se pensa, namorar um escritor não é tão bom assim. São muitas as cartas, mas ao mesmo tempo você sabe que, antes de você, também foram muitas as que ganharam cartas e, fosse você quem fosse, haveria cartas do mesmo jeito. Você sabe que assim como as suas, já foram muitas as cartas para outras se redimindo de brigas, se declarando, chorando, falando das dificuldades, das qualidades… Enfim, tudo o que lhe for escrito, fica a impressão de que seria, ou poderia ser, escrito para qualquer uma, a qualquer momento. Quase tudo.

          Como disse ali em cima, já escrevi me desculpado, chorando, gritando, me declarando, reclamando, exaltando, enfim, escrevi de tudo um pouco. Mas tem uma coisa que eu nunca escrevi pra ninguém: nunca escrevi uma carta ou um texto de um ano junto com alguém. Apesar de já ter ficado um ano com uma pessoa antes, era uma situação diferente. Hoje, pela primeira vez, me sinto completamente realizado e feliz por ter passado um ano com alguém.

          Começando com um clichê, como todo texto de amor, parece que foi ontem. Parece que foi ontem que nos encontramos pela primeira vez e que, pela primeira vez, senti tantos ciúmes de você que não pude mais mentir pra mim mesmo e tive que admitir que estava apaixonado. Parece que foi ontem que vim pra casa pela primeira vez maldizendo a semana de trabalho, que ainda me separaria de você por mais seis dias. Enfim, parece que foi ontem que todo mundo achou – e nós também tínhamos medo disso – que o dia de hoje nunca ia chegar. Mas chegou. E pra botar nosso amor a prova, foi muito mais difícil do que pensamos que ia ser, as saudades foram maiores e o que achávamos que ia melhorar quase não mudou.

          A melhor parte de ficar junto com alguém por um ano é a certeza de que, quando você mais precisar, vai ter alguém por perto. É poder, no engarrafamento, no meio de uma reunião chata ou deitado esperando o sono chegar, fugir dali e buscar abrigo nas lembranças de abraços, beijos e cafunés. É saber que por pior que seja a semana de trabalho, por menos dinheiro que você tenha ou por mais que seu joelho te mate de dor, daqui a pouco tudo isso vai passar quando você se aninhar no colo dela e ela ficar te olhando, fazendo carinho.

          No nosso caso, a saudade é tanta que toda semana parece a primeira vez. Tudo parece descoberta, todo beijo parece roubado. E pra gente, esse um ano parece um mês. Ninguém enjoou de ninguém nem nada caiu na rotina. Foi o melhor ano da minha vida, sem sombra de dúvida. Foi a melhor amiga, a melhor mulher, a melhor namorada… Nunca pensei que pudesse passar um ano junto com alguém desse jeito, e hoje não consigo nos imaginar não chegando aos cinco, dez, vinte anos juntos. Brigado por tudo, bailarina. Pelo amor, pelo carinho, pelas broncas, pela saudade, pelos abraços, beijos e enfins; pela paciência, pela compreensão, pela confiança, pelos cafunés, pelas aulas de dança e pelas tardes vendo ballet; pelas cartas, pelos cartões, pelos bilhetinhos, enfim, brigado por tudo. E obrigado, acima de tudo, por ter me dado a oportunidade de escrever o texto que eu sempre quis, sobre o motivo que eu sempre quis ter: você.