Antes de mais nada, gostaria de deixar bem claro que esta carta nada mais é do que uma divagação, um devaneio, enfim, maluquice mesmo, até por que, eu não acredito em você. Já sei o que o Senhor deve estar pensando: “Ah, não, mais um desses intelectualóides que fingem que não acreditam em Mim, e quando se fodem na vida me escrevem textos idiotas dizendo que a culpa é minha, que eu sou egoísta, que isso, que aquilo”. Pode ficar tranqüilo, não é esse o caso. Apesar de eu estar me fodendo bastante também, não é esse o ponto aqui. Essa missiva é tão somente para expor algumas dúvidas que tenho com relação a uma de suas melhores, maiores e mais faladas invenções: o amor. Eu digo amor no sentido amplo, não no sentido carnal. Nesse, felizmente, eu me viro muito bem, obrigado. Sem falar que ele é bem mais simples, e mais, digamos, palpável.

Eu sempre achei o amor uma coisa meio complicada. E, como se não bastasse, as pessoas ainda o complicam mais ainda, ao invés de tentar simplificar. Elas ficam tentando encontrar explicações prá tudo o tempo todo. Tentam racionalizar tudo e achar respostas pra perguntas que não foram feitas. Será que vai dar certo? Será que ela é a pessoa certa? E na ânsia de encontrar respostas, acabam encontrando coisas que não estão lá. E depois te enchem o saco, dizendo que a vida é complicada, coisa e tal. Passam a vida tentando encontrar a pessoa certa, e quando encontram, vão logo botando defeitos e encontrando problemas. E quem procura, acha.

Na minha humilde, porém atrevida opinião, acho que as coisas deveriam ser um pouquinho mais simples. Por que tanta gente ama a pessoa errada? Por pessoa errada, leia-se pessoas que não compartilham do mesmo sentimento. Por que, e isso é a maior dor que alguém pode ter, alguém que até ontem tinha você como a coisa mais importante do mundo, hoje não te ama mais, como se tivesse enjoado de um par de sapatos ou de um rádio velho? É bem difícil não perder a fé quando se perde a pessoa mais importante de sua vida, por mais que seja fato de que sempre se encontra outra pessoa mais importante da sua vida. Por que dor de amor não passa com aspirina ou com uma compressa de água quente no local? Por que deixa tanta marca? Isso era mesmo necessário?

Mas ainda assim, continuo achando o amor o motivo pelo qual vivemos. Nada é mais prazeroso do que ver nos olhos de alguém o quanto você é querido e o quanto você é importante. Saber que alguém se preocupa com você e te quer bem. A vida já vale a pena só por isso. Como bem disse o poetinha, dor de amor que não passa é por que o amor valeu. E como valeu. Mas podia doer menos. Garanto que a gente ia entender o recado da mesma maneira. Atenciosamente.

Anúncios