Gente, é Natal! Natal, galera, Natal!! UHÚ!! Vamos lá, abra a porta e dê bom dia pro desgraçado do seu vizinho que não te deixa dormir arrastando os móveis a noite toda. Ligue praquela sua prima que você não fala e daria um braço pra ver ela arrebentar uma sandália na rua num dia de chuva e se estabacar de cara no chão bem longe de casa.      Mande um cartão pro filho da puta que pegou seu DVD do Guerra nas Estrelas com extras e cenas excluídas e não te devolveu. Época de Natal, de repente agora ele para de fingir que não tá em casa. Mande um e-mail pra todas as mulheres que você já ficou e te odeiam. Faça comentários legais naquele blogue babaca do seu amigo, sobre o quanto ele escreve bem e coisa e tal. Não xingue os pop ups, nem seu provedor, e espere com um sorriso no rosto da fila do banco. E quando chegar lá na frente, sorria e deseje feliz Natal à todos! Manda um cartão pro viado do seu chefe que te manda fazer alguma coisa pra amanhã dois minutos antes da sua hora de ir embora. Não ligue pra isso, ora bolas!, é Natal! Encha a cara e abrace todo mundo, diga que ama todo mundo, que todo mundo é foda e que você admira todo mundo! Mas não se esqueça de bater no peito e dizer “eu goshto de voshê pra cacete! Na boa, você mora aqui, ó!”. Compre presente pra todo mundo. Afinal, todos merecem presentes. Até mesmo o primo do namorado do irmão meio esquisito da mulher do pai do padrasto do veterinário do gatinho da menininha que te pediu pra pegar a bola dela que caiu no seu quintal. Não seja amargo, homem de Deus, é Natal! O que importa se o cachorro do seu vizinho comeu seu pára-choque e se o filho dele quebrou sua janela com aquele maldito estilingue? É Natal. Mande-lhe uma cesta de Natal. Não seja mesquinho. Qual o problema se o jornal que você assina só chega depois que você saiu pro trabalho, e sempre cai numa poça d’água? Isso não é nada perto da magia e da paz da Noite de Natal. Procure aquele sujeito que dá a volta no quarteirão pra não passar na frente da sua casa só por que tá te devendo, e lhe dê um abraço apertado e lhe deseje boas festas! Deixe caixinhas de Natal no restaurante que você almoça, pro cara que você compra sorvete, no jornaleiro, na portaria do seu prédio, no da sua namorada e no do seu trabalho, em todos os lugares! Afinal, é Natal, época de caixinha! Leia todos os textos idiotas que te mandarem essa época, e retribua. Não reclame dos carros de som dos políticos lhe desejando boas festas, nem do engarrafamento, nem se você ficar duas horas na fila do almoço e três no trânsito. É Natal, pessoal!! E por falar nisso, Feliz Natal a todos os leitores, revisores e críticos desse blogue. E contribuam para a nossa caixinha de comentários. Até o ano que vem.

Anúncios