– COMO ASSIM VOCÊ JÁ TRANSOU COM UMA MULHER?
– Como assim “como assim”? Transei transando, quer que eu desenhe?
– Olha só, quinze minutos sem gracinha, tá?! A última coisa que eu preciso a essa altura do campeonato é piadinha sem graça…
– Tá bom então, vamos dissertar sobre “O sexo entre mulheres: suas variações e seus desdobramentos”.
– Vai se foder, Mariana, porra! To falando sério! Se põe no meu lugar!

Duas crianças passam atrás deles correndo atrás de uma bola.

– No seu lugar? Não dá, desculpa, não vejo uma atitude idiota e preconceituosa como essa há uns… cem anos!
– Antiquado? A garota que eu to saindo acaba de me falar que já transou com uma mulher, eu fico curioso, e sou antiquado?
– Primeiro: curioso não, você fez – e ainda ta fazendo – um escândalo; Segundo: uma não, três.
– Porra!, três? E você vai me contar agora ou vai esperar mais alguns minutos pra falar que tinha algum pequinês ou algum jogador de basquete vestido de colegial na história?
– Vai se foder…
– Sério, pelo amor de Deus agora! Sério!
– Sério o que? Você acha que eu to brincando? Meu Deus, como eu fui capaz de tirar sua virgindade?! Todo castigo pra corno é pouco…
– Achar não acho, mas espero muito que esteja.
– É, mas não estou, é sério.

As crianças voltam atrás da bola.

– Ma-Mas como, por que?
– Bom, Pedro, “como” é muito complexo pra um semi-virgem como você, depois te mando uns gráficos de Excel com umas animações… E quando, deve ter uns sete, oito meses. E por que, tenho a ligeira impressão de que “por que eu quis” não vai te satisfaze…
– Então já que você sabe, pode continuar…
– Ah, Pedro, quer saber, meu bom humor acabou! Chega disso. Se quiser entender, entender, se não quiser, procura alguma carolinha virgenzinha como você.
– (Gritando) Porra, Mariana! Dá um tempo! A gente ta ficando, você foi minha primeira mulher, a gente tem se dado bem pra caralho, e agora você vem me dizer que já transou com uma mulher???

As crianças estão paradas agora, atrás deles, fitando Pedro e prendendo o riso.

– (Gritando e gesticulando com as crianças) O que foi, porra?! Saí daqui!!

Mariana ri, gargalhando. Quando percebe que Pedro está realmente irritado, força para parar de rir.

– Dá pra explicar logo, Mariana?
– Pedro, é o seguinte: eu tava meio desiludida com homens e tal, e rolou… Mas eu vi que não era isso que eu queria.
– E precisou fazer três vezes pra ver que não gostava???
– (…)
– E como uma mulher transa com uma mulher? Beijar, lamber, etcétera até vai, mas transar? Não dá!
– Porra, você é muito mais idiota do que eu pensava. Muito mais. Claro que dá imbecil! Transar não é só o que você pensa. Tem todo um clima, toques e tal…
– Ah é?! Então, senhora Mariana, sinto lhe desapontar, mas eu não era virgem. Todo dia eu ia roçando na minha vizinha gostosa no ônibus: mó climão, altos toques… Então eu já comi minha vizinha! Só acho que ela não vai gostar muito de saber disso não…
– Putaquepariu… Quer saber? Enchi dessa sua babaquice, não quero um cara que pensa assim do meu lado. Não to acreditando que tirei a virgindade de um idiota como você! Vai se foder!
– Mari, desculpa, desculpa. Foi mal mesmo, é que porra, é foda pra mim. Eu te amo.
– Pedro, eu também te amo. Mas se você tivesse falado que já transou com um cara, eu só não ia querer que isso acontecesse enquanto estivéssemos juntos. Só isso.
– Ta bom então, vamos esquecer isso, okay?
– Como se você fosse conseguir…
– Claro que consigo… Só mais uma pergunta: você comeu ou deu pra elas? Bom, eu tenho que saber, vai que você comeu e vai querer se engraçar comigo também…
– (sarcástica, estendendo o dedo médio para Pedro) É, até por que, eu até poderia me engraçar com você, do jeito que você é tapado, ia achar normal e ia até gostar…

Pedro faz cara de enfado. Eles se abraçam, se beijam e saem andando. As crianças ao fundo, batendo palmas e jogando a bola pro alto.

Anúncios