– Alô? Pedro?

– Oi, quem tá falando?

– Eu, a Leca. Tudo bom? Voz estranha

– Tudo bem tá sim, mas a voz estranha deve ser por que você tem namorado, a gente nãos e fala há semanas e sõ meia noite…

– Ah, é, hehe. Mas e aí, como você tá?

– Bom, Leca, to bem. Tudo indo. Mas por que você ligou? Cadê seu namorado?

– Tá vindo me buscar em meia hora. Só liguei por que tava pensando em você agora…

– (…)

– É, então, tava ouvindo a nossa música. Aí lembrei de você. Deu uma saudadezinha boba. Sabe, uma saudade boa, fiquei aqui ouvindo, pensando em você…

– (…)

– É, aí deu uma saudade, uma vontade de te beijar, te abraçar. Lembrei muito da gente com a música.

– Bom, er… tá, mas, e aí, como você tá?

– Pedro, é sério.

– Porra, Leca, eu sei que é sério, mas o que você quer que eu diga, caralho?! Você tem namorado, ele tá chegando aí em vinte minutos, seus pais adoram ele, ao contrário de mim, você vai casar em uns meses e, como você mesmo diz, você nunca esteve tão feliz! O que você quer que eu fale, Alessandra??

– Pára de falar assim comigo, e de me chamar de Alessandra. Não falei nada demais.

– Nada demais? Nós terminamos, ou melhor, eu terminei com você há sete meses, você tá namorando o “Principe encantado”, vai casar, tá feliz, já falou que errou em tentar voltar comigo e tal… Aí de repende você e liga “com saudades e vontade de me abraçar e me beijar”? É, nada demais mesmo. Eu que to ficando maluco.

– (…)

– Tá, foi mal. Eu também sinto falta. Muita. Já te falei que me arrependi do que aconteceu, e que sinto sua falta. Você deve estar gargalhando me ouvindo falar isso…

– Pedro, claro que não. Mas já falei que to feliz assim.

– Feliz? E tá me ligando uma da manhã, dizendo que tá pensando em mim, que tá com saudade e quer me beijar e me abraçar, e me diz que tá feliz? Porra, se não tivesse então…

– Eu to, mas deu saudade. Só isso.

– Só isso? Você tem namorado e sente saudade de mim?

– É…

– Então tá bom. Eu também sinto sua falta, muita. Também lembro de você, e também penso em como poderia ter sido diferente se eu tivesse tentado mais…

– Quem disse que eu penso nisso?

– Precisa dizer, Leca?

– Bom, Pedro, é isso. Vou lá, sabe, o Mauro deve estar chegando. A gente se fala. Amanhã eu te ligo. Mas que eu to morrendo de saudade, eu to.

– Tá. Mas posso pedir uma coisa? Se essa saudade for só pra masturbar seu ego e ouvir que eu também sinto falta, de que eu me arrependi, precisa ligar mais não. Mas se for de verdade, liga sim. E se mudar alguma coisa, me fala. A gente dá um jeito

– Mudar o que, Pedro?

– Nada, esquece. Se mudar, você vai lembrar e me falar…

– Bom, tá bom então. To indo. Beijos, saudade.

– Beijos. E se cuida. Se precisar de alguma coisa pode ligar, tá?!

– Tá, beijos.

– Beijo.

E agora, pensavam a mesma, e viam a mesma cena. Ela, sentada no carro do namorado; ele, sozinho no portão da casa onde acontecia uma festa. Ambos olhavam a lua, e se sentiam unidos por estarem vendo a mesma coisa, mesmo não estando. Ele tentava adivinhar o que se passva na cabeça daquela louca. Ela também tentava. E assim como antes de se beijarem pela primeira vez eles já sabiam que iria acontecer, eles agora, de alguma maneira, sabiam que ainda iriam, algum dia, de algum modo, contemplar essa mesma lua, juntos. Essa mesma lua que já presenciou beijos, brigas, carícias, conversas, agora tinha que dividir sua atenção, pois era observada de dois lugares diferentes, mas que compartilhavam dos mesmos pensamentos, sentimentos e desejos. Mas essa lua triste também sabia que, um dia, ainda iria vê-los olhando para ela juntos, e iria sorrir quando, juntos e abraçados, ele falasse, corroborando o bom entrosamento e o bom humor que sempre tiveram:

– Que cara de pau! Você no carro do seu namorado pensando em mim? Eu pelo menos mandei as meninas saírem da cama pra eu pensar em você sozinho….

– Palhaço, hahahahahahahahahah.

Close nos dois. Eles se beijam. Fade out deles até o céu, onde a câmera vira para o outro lado e vemos a lua. A lua mais bonita e brilhante que eles já viram. Ou melhor, a lua mais bonita e brilhante que já olhou pra eles…

Anúncios