É, dia dos namorados aí, coisa e tal, namorados pra cá, apaixonados pra lá, fossa acolá, essa coisa toda. Como diz um amigo meu, “quem tem, tem, quem não tem, pensa na mãe”. Então, eu, que não tenho, e não vou escrever sobre minha mãe, por que senão depois nego vai ficar me analisando e tal, vou falar sobre uma coisa que eu tenho, poucos e bons. Não, não to falando de nenhuma medida íntima minha, até porque, modéstia a parte, “poucos” não se adequaria aqui. To falando de amigos. Então aqui vai um textinho em homenagem a essas pessoas que nos aturam mesmo quandoe stamos sem muié, como é meu caso. E de repente até nos consolam de maneira mais, digamos íntima, quando amigos do sexo oposto. Ou do mesmo sexo, pra quem gosta, sem preconceitos, pessoal. Amplexos apertados e ósculos carinhosos.

Amizade

Amicus certus in re incerta cernitur. Nossos três leitores sabem que isso é latim e o que significa, mas vou dizer pro caso do pessoal ignorante daquele blogue pederasta passar por aqui pra buscar inspiração: os amigos certos, se descobre nas horas incertas. Sem dúvida, uma das frases mais verdadeiras sobre amizade. Amigo é aquele que quando você faz merda, antes de te consolar, se acaba de te zoar e te chamar de idiota, mas que depois vai ficar do seu lado, qualquer que tenha sido a merda. Amigo é aquele que quando você comete aquele mesmo erro imbecil pela milésima sétima vez não encosta sua cabeça no ombro dele pra te consolar. Isso qualquer estranho faz. O amigo de verdade vai rir pra caralho de você, depois vai de dar um esporro, dizer que você é um cretino cabeça dura, um imbecil completo, por que amigo de verdade fala a verdade. Amigo bajulador fala o que você quer ouvir, pra todo mundo pensar “nossa, como ele apóia o amigo!”.

O amigo de verdade, quando você chegar na casa dele desesperado por que a mulher da sua vida te deixou, vai até te consolar, mas vai falar que, pelo menos, ela era gostosa, mas que tem milhões muito mais gostosas. E menos problemáticas. Ele não tem medo de magoar, de falar a verdade. Ele vai dizer que te avisou, que você é um babaca teimoso desgraçado, mas vai te dar a maior força pra superar isso. Amigo não é só pra elogiar. Conhecidos fazem isso. É por isso que todos os nossos conhecidos nos acham “super-gente-boa!!”… Mas pra um amigo falar isso, é por que é verdade. Por que ele sabe de tudo. E mesmo assim é seu amigo.

Seu amigo fala que essa mulher não parece confiável, que sua camisa ta ridícula ou que você é egocêntrico. Você pode até não ligar pra isso – como eu faço – mas ele vai falar. Amigo é aquele que depois de anos sem se ver, te encontra como se tivesse passado um dia, e te trata como se vocês estivessem juntos esse tempo todo. Amigo é aquele que você entra na casa dele, come a comida dele, rouba os cds dele, ensina o filho dele a falar palavrão, chama as cunhadas dele de gostosas, zoa o cabelo dele, o nariz dele, e a roupa dele e, mesmo depois disso tudo, ele ainda escreve sobre você como se você fosse o melhor sujeito do mundo, ou age com você como se isso fosse verdade. Mas você sabe que não é. Ele sabe que não é. Afinal, ele é seu amigo. Mas amigo é pra isso. Amigo não é pra elogiar. Amigo é pra te xingar, fazer você enxergar a verdade, te chamar de imbecil, filho da puta, burro, teimoso e cabeça dura. Até por que, onde eles acertaram há um bom tempo, você insiste em continuar errando. E você erra, erra, erra e erra, e eles tão sempre lá, prá te dizer o quanto você é idiota, estúpido e metido a saber de tudo. Amigo é pra isso. Portanto, amigos, jamais parem de me chamar de imbecil, cabeçudo e cretino, por que eu nunca vou parar de roubar seus cds, comer nas casas de você, achar suas cunhadas e irmãs gostosas e zoar vocês! Romana Legio Omnia vincit.

Anúncios