Eu tava melhorando. Juro, tava mesmo. Já tava quase começando a te esquecer. Quase. Mas de noite, eu ainda sentia sua mão no meu cabelo. Aindasentia seu beijo no meu pescoço. Ainda via seu sorriso lindo e contrangido por que eu tinha acabado de me declarar pr você. Apesar disso tudo, eu já estava resignado. Não adiantava dar soco em ponta de faca. Ficar tentando deitar joão bobo no sopro. Não adiantava.
Mas eu era idiota, e tinha insistido até a última gota. E me dei muito mal. Ninguém acreditava na gente. Ninguém. Suas amigas, meus amigos, seus amigos, minhas amigas, nem os meteorologistas, os sinais de fumaça ou o tarot, nem seus pais, seu irmão, meu irmão, meu passarinho, seu cachorro, nem as mensagens de celular, os scraps nem os e-mails, nem as pessoas na rua, as pessoas em casa, nem meu corpo, nem seu corpo, ninguém. Nem você. Nem você acreditava na gente. Você queria, mas não acreditava. Nunca acreditou. Até a última terça feira.
Na terça nós nos vimos, voltamos às boas, e, pela primeira vez desde que te conheço, vi você acreditar na gente. Vi você acreditar que a gente podia ir mais longe do que o cinema do shopping. Você agiu diferente, me beijou diferente, me abraçou diferente. E é isso que importa. Fodam-se nossos amigos, nossos pais, nossos bichos, as bichas cartomantes, os e-mails, foda-se todo mundo que não acredita. Por que agora, você acredita. Pela primeira vez, você acredita. A gente pde até não dar certo de novo e de novo, mas pelo menos dessa vez você acreditou. E quis acreditar. Ano novo, vida nova. Posso te garantir que você não vai se arrepender de acreditar em algo que eu nunca deixei de acreditar. Nunca. em momento nenhum. Nem vou deixar. Usando a frase que eu falei ontem, e que você falou que já usaram, mas ainda assim é muito legal, “make it happen, and i make it worth”. Pode ter certeza disso. Eu vou fazer valer a pena cada segundo. Cada um deles. E cada dia vai ser melhor do que foi terça. Muito melhor. É isso. beijos. p.s.: Não deixa de acreditar não, por que eu nunca deixei. E, pela primeira vez falo isso aqui nesse blogue, parafraseando Butch Cassidy, na Família dó ré Mi, eu acho que amo você…

Anúncios