Bom, nos conhecemos há mais ou menos dois anos. Nesses dois anos, já brigamos pra cacete, já nos beijamos muito, nos abraçamos mais ainda, já conversamos sobre a gente, sobre os outros, sobre o tempo, já nos abraçamos como amigos, como ficantes e como namorado, e já nos beijamos também nessas três situações. Tudo o que fizemos, fizemos em três versões. Amigos, ficantes e namorados. Todas elas foram maravilhosas, uma melhor do que a outra. Tanto pra mim quanto pra você, acredito. No seu primeiro aniversário, não estávamos juntos, mas queríamos estar. Nesse, não estamos mesmo. Esse período ta sendo complicado, me acostumei com você como amiga, amiga colorida, namorada, mas ex-namorada ta sendo bem complicado. E hoje, pior ainda. Queria te ver, te dar um beijão, levar flores, um bicho de pelúcia maior do que você, tirar sua roupa e dormir abraçadinho, esperando o próximo aniversário.

Por isso prefiro não te ver hoje. Desculpa, mas você me conhece, vai ser melhor pra nós dois. Não quero estragar seu momento com algum eventual mau humor. Parabéns, e parabéns por tudo o que você tem conquistado e ainda vai conquistar. Torço muito por você, e vou torcer pra sempre. Você foi uma amiga maravilhosa, uma ficante sensacional, e a namorada perfeita.

Queria muito ainda ter você como amiga, e hoje poder te ver, te dar um beijão na bochecha sem perigo nenhum, um abração bem apertado e cochichar no seu ouvido “conta sempre comigo, magrela. E nunca deixa ninguém te chamar de magrela. Só eu”. Mas não vou fazer isso. Corre o risco de o beijo querer escorregar, o abraço apertar demais, e o cochicho terminar em uma mordida maledicente na orelha. Então, por aqui mesmo, sem perigo de nada, parabéns. E agora vou falar uma coisa que vai ser um parto. To no trabalho, escondendo as lágrimas pra tomar coragem de te dizer isso. Espero que você encontre alguém que te ame como eu te amei, e que cuide de você como eu cuidei, e se preocupe como eu me preocupei. É isso. Mas se encontrar, finge que ele é babaca, senão eu vou ficar com mais ciúmes ainda. Bom, era isso. Parabéns, se cuida, e agora fecha os olhos e me imagina sussurrando no seu ouvido “conta sempre comigo, magrela. E nunca deixa ninguém te chamar de magrela, ta!? Só eu…”.

You and I have memories that are longer than the road that stretches out ahead” – You and I, The Beatles

About these ads